Bicicletas sociais

Em poucos lugares do Brasil já existe o sistema de bicicletas sociais. Mas, na maioria dos casos, são poucas unidades disponíveis e para usá-las é preciso ir até a central e, depois, devolvê-las.

Mas para facilitar a vida de muitos pedestres americanos e europeus, Ryan Rzepecki lançou a segunda versão do Sobi (The Social Bicycle System). Agora, a bike pode ser deixada em qualquer lugar da cidade e para usá-la basta localizar uma mais próxima de você com um celular, através do GPS. Ao encontrar a magrela, é só digitar a sua senha e, pronto!

O dispositivo elétrico instalado na bicicleta é carregado durante as pedaladas e também por um painel solar localizado na garupa. Depois de andar o tempo que quiser é só encostar no poste mais próximo e pagar pelo tempo que a utilizou.

A primeira meia hora do uso da bike é sempre gratuita e começa a ser cobrada pelo tempo excedente, ou seja, a segunda meia hora custa 1, a terceira meia hora custa do 2 e assim por diante. Isso para estimular o usuário a fazer a sua pedalada necessária e liberar para outras pessoas usarem.

Olha como funciona:

Social Bicycles Demo from Social Bicycles on Vimeo.

2 respostas para “Bicicletas sociais”

    1. A bicicleta e o unico meio de transporte qui não usar energia, para quer isso cara mas um equipamento eletronico nas ruas
      deram um jeito da bike polui tb

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *